sábado, 21 de dezembro de 2013

Roby Amorim (1927-2013)


José Justino Faria de Roby Amorim iniciou a sua carreira em 1948, no jornal Correio do Minho (Braga). Em 1956 entrou para a redacção do jornal Diário Ilustrado, que congregou uma plêiade de profissionais que fez eco na sua geração. Na sequência da extinção deste título fez breve incursão por Angola, de onde foi expulso pela polícia política, após três meses de prisão sem culpa formada nem julgamento. Novamente em Lisboa, ingressou no jornal O Século, colaborando intensamente nas outras publicações da empresa (Século Ilustrado, Vida Mundial e Cinéfilo). Extinto este jornal, em 1975, entrou para a redacção da Agência ANOP, depois Lusa. Por último, fez parte do colectivo que produziu os últimos dois anos de O Diário de Lisboa. Também colaborou, nos últimos anos da sua vida activa, em várias puplicações da Agência de Comunicação LPM.

Recebeu por duas vezes o Prémio Pereira da Rosa (1971 e 1972) e em 1973 o Prémio Nacional de Jornalismo “Afonso de Bragança”. Publicou Elucidário de Conhecimento Quase Inúteis (Salamandra, 1985), Da Mão à Boca (Salamandra, 1987) ou Abecedário dos Sabores Portugueses e Mais Alguns (Lagonda, Dezembro de 2005).

Sem comentários: